sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Jogada Histórica Podcast #2 - Puerto Rico

Voltamos! Agora falando do jogo que foi nosso primeiro aqui no blog, o Puerto Rico! Aqui você vai saber um pouco mais sobre os aspectos históricos do jogo e vamos discutir a questão d escravidão nos board games!

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Jogada Histórica Podcast #01 - Lisboa

Venho informar com a maior alegria que um dos projetos do Jogada Histórica saiu do papel! É o Jogada Histórica Podcast!

Nesse primeiro episódio, junto com Thiago Leite (Leite Night) e Daniel Faleiro (Hoje Tem Jogo) vamos falar de um jogo ainda não lançado (precog?), o Lisboa!



Segue abaixo links e fotos comentados no episódio:



Lisboa antes do terremoto.

Azulejos portugueses.

Escombros.

Ruas de Lisboa no jogo.

Pombal planejando a reconstrução.

Rua Augusta hoje.

Rua do Ouro.


sexta-feira, 3 de julho de 2015

Imperial 2030: Entendendo o BRIC(S)

Bem, hoje vou falar de Imperial 2030, que assim como o Imperial, também passou a fazer parte dos meus jogos favoritos, os dois foram criados por Mac Gerdts e publicado pela Rio Grande Games.


Quando eu escrevi sobre o Imperial, me perguntaram quando eu faria um post referente ao 2030, as diferenças em regra não são muitas, mas vale explicar o contexto do jogo no século XXI, então vamos lá, serei breve nesse post.

No Imperial 2030, existem seis países que recebem investimentos dos jogadores, esses países são: Estados Unidos, União Européia, Brasil, Russia, Índia e China.

Existe um cara chamado Jim O'Neill, que é o chefe de pesquisa em economia global do grupo financeiro Goldman Sachs, ele propôs uma tese afirmando que o Brasil, Russia, India e China possuem um tamanho potencial econômico que poderiam se tornar as quatro economias dominantes no mundo até 2050, das iniciais desses quatro países nasceu a sigla BRIC. Esses quatro países não formam um bloco econômico, como a União Européia, mas uma espécie de "aliança", que acabam por usar seu poderio econômico em uma influência geopolítica.

Particularmente acho o 2030 mais bonito.
Essa união econômica dos quatro países do BRIC cresceu e, em 2011 a África do Sul se uniu ao grupo, adicionando um "S" à sigla (South Africa), transformando em BRICS. Desde 2009 os líderes desse "clube político" se reúnem em cúpulas anuais. Pelo que eu estou vendo, tem algum jogador com os Bonds mais altos dos quatro países heim...

No jogo não temos o "S", são apenas os EUA, UE, e os países do BRIC. Mas vale conhecer cada um dos líderes, incluindo da África, por ordem da "caixa do jogo":

  • Jean-Claude Van Juncker, Presidente da Comissão Européia.
  • Barack Obama, bem, esses todos conhecem...
  • Jacob Zuma, presidente da África do Sul;
  • Dilma Rousseff, todos conhecem e "amam" a presidentA né...
  • Vladmir Putin, o Presidente Badass da Russia.
  • Pranab Mukherjee, presidente da Índia.
  • Xi Jinping, presidente da China.

Pra cima do Obama, Presidenta!
Há quem não ligue muito pro tema, mas eu acho Imperial 2030 um jogo com um tema bem legal, e quase atual, visto que hoje os EUA, a UE e os países do BRICS são fortes "figuras" econômicas.

Nas regras do jogo um elemento bem legal são os Canais, que garante passagem para diferentes territórios marítimos, a nação que controla o território onde se encontra o Canal, pode determinar quem passa ou não. Existem dois Canais no jogo, o Canal do Panamá e o Canal de Suez.


Espero que tenham gostado, me desculpem pela demora.

Curtam a página no Facebook e mais tarde tem o sorteio!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Lewis & Clark: A Expedição

Essa semana eu estava estudando para uma prova de História dos Estados Unidos quando me deparei com um tópico sobre as expedições para o "Oeste Selvagem", e imediatamente lembrei de Lewis & Clark, jogo de Cédrick Chaboussit, lançado em 2013 pela Asmodee.

Em 1803 Meriwether Lewis e William Clark partiram de St. Louis em direção ao Oeste dos Estados Unidos em uma expedição para encontrar uma rota fluvial para o Oceano Pacífico, mas como diz o manual do jogo, vamos voltar para 1803 e imaginar que o presidente Thomas Jefferson não enviou uma, mas várias expedições para explorar o Oeste Selvagem. Pronto, aqui estamos em Lewis & Clark!

Dessa vez eu vou fazer uma postagem um pouquinho diferente, focando mais na história utilizada como tema para o jogo do que nos elementos do jogo em si.
Então vamos lá para um pouco de história, ilustrada por Vicent Dutrait para esse belíssimo jogo!
Em 1800, Thomas Jefferson se tornou o terceiro presidente dos Estados Unidos, nessa época a nação ocupava uma área de aproximadamente 1600 quilômetros que ia da costa do Oceano Atlântico até o Rio Mississippi, no lado oeste e dos Grandes Lagos ao norte até o Golfo do México ao sul.

As estradas eram muito ruins nessa época, os rios, portanto, eram as rotas prediletas para o comércio. Em 1803 Jefferson dobrou o tamanho do território dos Estados Unidos ao comprar a Louisiana dos franceses, pelo preço de 15 milhões de dólares. Os Estados Unidos agora tinham acesso ao porto de Nova Orleans e para o Oeste Selvagem, além do Mississippi.

Thomas Jefferson designou a exploração dessas novas terras à Meriwether Lewis, seu secretário pessoal desde 1801, Seu objetivo era encontrar um caminho fluvial que conectasse o leste e o oeste. Lewis mostrou sua geniosidade ao escolher seu amigo William Clark para a sua fantástica aventura. Clark era quatro anos mais velho do que Lewis, que era um sonhador introvertido e intelectual, enquanto Clark era o oposto: um homem forte, pragmático e com bastante juizo.
Lewis & Clark

Em 1803, Lewis e Clark reuniram um pequeno contingente no Camp Dubois, próximo a St. Louis, chegando em um barco especialmente construído para a expedição. 

Abaixo, os jogadores e seus acampamentos estão prontos para a expedição rumo ao pacífico!


Durante a expedição o grupo se encontrou com muitas nações indígenas, como os Missouri, Sioux, Omaha e Lakota. Capitão Lewis e Capitão Clark tentaram se relacionar bem com esses índios, que foram de grande ajuda para a expedição, eles conheceram seus líderes e encorajaram a paz entre eles e seu novo “Chefe”, o Presidente Jefferson. 

No jogo Lewis & Clark, os jogadores podem realizar ações relacionadas às Cartas de Personagens e à ações nos Vilarejos Indígenas. Para isso utilizam de "companheiros nativos" que os acompanham na expedição.

Nas duas imagens abaixo temos os índios reunidos, e eles podem ser pegos para se juntar à expedição. Ações realizadas pela Carta de Personagem Interpreter (Intérprete).

Índios reunidos a disposição da expedição.
Um novo índio esperando para se juntar a expedição!
 Abaixo, um jogador utilizou uma ação do Vilarejo Indígena, e dois de seus índios que acompanhavam sua expedição, para construir uma nova canoa.

Canoas (peças azuis) e Cavalos (peças brancas).
Os jogadores devem administrar suas Cartas de Personagens e o "favor" dos Índios que os acompanham na expedição para obter e gerar recursos. Existem os Recursos Primários e os Recursos Transformados. 

Madeira, Comida, Pele e Equipamentos.
Os Recursos Primários são Madeira, Pele, Comida e Equipamentos, ou seja, necessidades básicas para quem vai desbravar o Oeste Selvagem!

Já os Recursos Transformados são meios de transporte para a expedição, como Cavalos e Canoas. 

Voltando a história... A expedição avistou o Pacífico pela primeira vez em 7 de novembro de 1805, chegando duas semanas depois. A expedição enfrentou seu segundo acampamento no inverno ao lado norte do Rio Columbia em uma área de tempestades. A falta de comida foi um fator de muita dificuldade, os alces, que eram a principal fonte de comida, recuaram para as montanhas e o grupo estava com muito pouco dinheiro para comprar comida o suficiente das tribos vizinhas

Em 24 de novembro o grupo fez uma votação para mover o acampamento para o lado sul do rio, perto de onde hoje é Astoria, Oregon. Essa votação tem uma importância histórica, Sacagawea era uma mulher indígena que acompanhava o grupo e York era escravo de Clark, ambos tiveram permissão de votar nessa decisão de mover o acampamento, e essa pode ter sido a primeira vez na história dos Estados Unidos em que uma mulher e um escravo tiveram permissão de participar de um voto. 

No lado sul do rio, há alguns quilômetros a oeste do Rio Netul (hoje conhecido como Rio Lewis e Clark), eles construíram o Forte Clatsop.

Assim como conta a história, o Forte Clatsop na margem sul do rio!

O forte não foi construído apenas com o propósito de abrigo e proteção, mas também para oficializar a presença ali, com a bandeira dos Estados Unidos. Durante o inverno no Forte, Lewis escreveu bastante em seu diário sobre o conhecimento adquirido em sua jornada, escreveu muita coisa sobre botânica devido as florestas que havia encontrado pelo caminho e que cobriam grande parte do continente. A companhia retornou do oeste em março do ano seguinte.

Eu joguei Lewis & Clark e achei o jogo bem interessante! Além de ser um belo jogo o manual traz algumas páginas com a história por trás do jogo, com informações muito mais detalhadas sobre os acontecimentos da época. Além de explicar o papel de cada personagem histórico representado nas Cartas de Personagem.
Infelizmente eu ainda não tenho em minha coleção, mas é um jogo muito bonito, principalmente suas cartas (que eu não postei aqui por não ter encontrado imagens em boa resolução), as imagens utilizadas aqui foram tiradas do BGG.

Espero que tenham gostado!

Abraço!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Um post especial sobre o jogo Thurn und Taxis.

Antes de começar eu queria agradecer ao Eduardo Wahler, o texto desse post foi escrito por ele, na íntegra! E está simplesmente excelente, não tenho nada a mudar!

O porquê desse post ser especial? Bem, meu trabalho nesse blog foi a inspiração para que o Eduardo Wahler pesquisasse sobre a história por trás de um dos seus jogos favoritos! Fiquei muito contente ao ler o documento que ele me enviou.

Mais uma vez Eduardo, MUITO OBRIGADO!


Bem... Vamos ao que interessa!

Vencedor do Spiel des Jahres 2006, Thurn und Taxis é um dos meus jogos prediletos. É um jogo de
mecânica bastante simples, porém extremamente estratégico, que envolve sorte na medida certa e muitas possibilidades de jogo. Até aqui está ok, quem já jogou já sabe de tudo isso, mas você sabia que Thurn und Taxis não é somente o nome do jogo, mas também o nome de uma família alemã? E não é qualquer família, eles são considerados os precursores do sistema postal internacional moderno. 

Eu sempre achei que o nome do jogo seria algo como Turno e Taxas, mas a significado correto vem de torre (em italiano: Torre) que se tornou Thurn e texugo (em italiano: Tasso) que se tornou Taxis.

Vai lá, não tenha vergonha! Pegue a caixa de seu jogo e olhe de perto! O brasão da família na caixa do jogo mostra uma coroa, quatro leões, duas torres e um... Texugo! Viu!?

A família Thurn und Taxis tem origem na região da atual Itália, onde Ruggiano de Tassis fundou um serviço postal. Na época a Itália não existia como um reino ou país, e esta região era parte do Sacro Império Romano Germanico.

Considera-se que a organização do sistema postal imperial organizado pelos von Thurn und Taxis foi uma das contribuições mais impressionantes em toda a história. Franz von Taxis (1459-1517) foi o primeiro a estabelecer uma rede postal bem organizada na região da Itália, lançando a pedra fundamental para o desenvolvimento de um sistema postal internacional. Mais pra frente, em 1489 na cidade de Innsbruck, Janetto von Taxis foi apontado chefe-mestre dos Serviços Postais, cargo ocupado pela família por séculos. A correspondência entre Innsbruck e Bruxelas ocorria em até cinco dias. Em 1615, o Imperador Mathias gratificou a família por seus méritos ao conceder a Lamoral von Taxis o título hereditário de Gerente-Geral de Correios, que em 1744 alcançou o status de Oficial do Império. Já no século XVII, época de nosso jogo, o Sacro Imperador Romano Germânico Ferdinando III e o Rei Felipe IV de Castella (Espanha) reconheceram os Taxis como descendentes dos Torriani e lhes concederam o direito de manter seu nome e carregar seu brasão de armas. Esse mesmo foi caracterizado pela ascensão social da família, foi promovida aos postos de Barão (1608), Conde (1624) e em 1695, sob o reinado do Imperador Leopoldo I, ao posto de Príncipe. Em 1748, o Príncipe Alexander Ferdinand foi alçado ao posto de Comissário Principal, isto é, subordinado somente ao Imperador no Regime Político Imperial Permanente. É então que a família se muda permanentemente de Frankfurt para Regensburg trazendo consigo crescimento econômico, cultural e social à cidade, entre outros transformando uma biblioteca particular da família em biblioteca principesca da corte, aberta ao público, sem custo algum, desde 1786. Ainda hoje os von Thurn und Taxis são uma das famílias mais ricas de Alemanha, estando envolvidos em causas sociais já há algum tempo.

Schloss St. Emmeram
A fortuna e poder tem mais de 500 anos, sendo que até hoje mantém o tratamento de Príncipes, apesar da Alemanha não manter oficialmente títulos de nobreza. Para ter uma noção do que é essa família, de uma olhada no site deles, http://www.thurnundtaxis.de

Obs.: A esta altura, acho que nem preciso dizer que eles tem seu próprio castelo, O Schloss St. Emmeram, em Regensburg, onde moram desde 1748.


A cidade deMunique e a Frauenkirche
Agora falando sobre o jogo, basicamente temos que montar rotas de distribuição postal. Iniciamos a rota com a carta de uma cidade e vamos baixando as cartas que fazem fronteiras com a cidade inicial ou a cidade final da rota, mas sem nunca mexer na ordem das cartas. Quando você decidir encerrar a rota, pontua-se de acordo com seu tamanho e territórios. Você pode contar com a ajuda dos funcionários do sistema postal para comprar duas cartas, baixar duas cartas, trocar as cartas abertas e aumentar o tamanho de sua carroça.

Além da história da família, o jogo é fantástico nos detalhes de seus componentes. O tabuleiro apresenta o centro do Sacro Império Romano Germânico (hoje sul da Alemanha) no século XVII, apresentando ao menos uma construção histórica de cada cidade, assim como ilustrado nas cartas destas cidades. O Sacro Império não era exatamente um país como vemos hoje, e as regiões gozavam de grande autonomia, com leis e famílias soberanas próprias. A Casa dos Wittelsbach, por exemplo, governou a região da Baviera (Baiern) por quase 600 anos, de 1323 até 1918 – permanecendo no poder mesmo após o fim do Sacro Império.

Abaixo segue a descrição dos pontos representados nas cartas. Se tiver curiosidade, na internet você acha fotos atuais da maioria das construções.




Basel: Prefeitura;
Zürich: Grande Monastério e Prefeitura;
Innsbruck: Catedral St. Jakob.






Würzburg: Fortaleza Marienberg;
Nürnberg: Castelo;
Ingolstadt: Kreuztor (um pórtico);
Kempten: Basílica de St. Lorenz e Residência Real;
Augsburg: Perlachturn (torre) e Prefeitura da Karolinenstrasse;
Regensburg: Catedral
Passau: Schaiblingturm (torre) e Prefeitura;
München: Frauenkirche (Igreja da Nossa Senhora em português, Notre Dame em Francês).





Lodz: Igreja Trinitatis – Única cidade que não oferece bônus direto por região, mas essencial para uma boa estratégia.















Mannheim: Antiga Prefeitura e Caixa d´Água (Wasserturn);
Freiburg: Catedral;
Carlsruhe: Castelo.















Pilsen: Antiga Cervejaria;
Budweis: Prefeitura Azul (Blaues Rathaus);
Linz: Wallfahrtsbasilika Pöstlingberg (basílica de peregrinação);
Salzburg: Fortaleza Hohensalzburg.













Sigmaringen: Palácio Hohenzollern;
Ulm: Catedral;
Stuttgart: Antigo Palácio.


Ainda sobre os detalhes, já notou a semelhança no verso das cartas com o símbolo atual dos correios alemães?



 




Não, não é coincidência.







Em sua próxima visita à Regensburg, Alemanha, aproveite para tomar uma dessas! A cervejaria da família foi vendida para o Grupo Paulaner de Munique em 1996, mas ainda produz cerveja sob a marca Thurn und Taxis.



Considerações finais: Thurn und Taxis é um jogo fantástico. Impressiona pelo capricho e pela dinâmica, possibilitando mudanças constantes de estratégia. Eu pessoalmente tenho mais de 70 partidas disputadas (desde que começamos a contar) e posso dizer que quanto mais se joga, mais se quer jogar, e mais se aprende. Para quem curte, o jogo está disponível para partidas online no BrettspielWelt e Yucata. Fortemente recomendado!


Viel Spaß und Auf Wiedersehen!


Eduardo Wahler

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Antike Duellum – As Guerras Médicas

Hoje estarei falando sobre Antike Duellum, mais um jogo de Mac Gerdts, autor do excelente Imperial. Antike Duellum é uma versão para duas pessoas do jogo Antike e apresenta dois cenários: As Guerras Púnicas, entre Roma e Cartago; e As Guerras Medicas, entre Gregos e Persas. O objetivo do jogo é ser o primeiro a conquistar nove personalidades do mundo antigo, dentre eles Reis, Eruditos, Generais, Civis e Navegadores.

Para esse post vou falar especificamente das Guerras Médicas (que não tem nada a ver com a polêmica dos médicos cubanos... Hehehe), que ocorreram entre os povos gregos e os medo-persas pela disputa da Jônia, na Ásia Menor, quando as colônias gregas tentaram se livrar do domínio persa. Esta região da Jônia era colônizada pela Grécia, porém durante a expansão persa para o Ocidente esse poderoso império conquistou estas diversas colônias gregas, dentre elas Mileto. Sem sucesso, as colônias lideradas por Mileto e que contavam com a ajuda de Atenas, tentaram libertar-se do domínio persa, promovendo uma revolta.

Cidades Gregas

Cidades Persas

Cidade grega sendo atacada!


Bem, vamos ao jogo! Cada jogador controla um exército, Grego ou Persa, com o objetivo de conquistar nove personalidades. Na vez de cada jogador ele pode realizar uma ação dentre essas sete:


Ações de Produção - Mármore, Ferro e Ouro

Cada uma dessas ações produz uma ou três unidades desses materiais de extrema importância no mundo antigo: 

O Mármore era utilizado na construção de cidades e templos, e aqui ele é utilizado como pagamento na construção dos templos e como parte do pagamento na fundação de uma cidade.




O Ferro era utilizado na produção de armas e o que é produzido nessa ação é utilizado como parte do pagamento na fundação de uma cidade ou como custo para enviar um exército de soldados ou uma frota de navios para o mapa, representando as unidades militares sendo armadas para o combate.



O Ouro aqui é utilizado assim como os dois recursos anteriores para o pagamento na fundação de uma cidade, mas também tem duas outras funções muito importantes, ele serve para recrutar soldados, que nessa época eram em sua grande maioria contratados para lutar, sem pagamento, sem luta. Outra função importante para o Ouro é investir no desenvolvimento de tecnologias para sua civilização.

Templum (Templo): Essa ação permite que a nação, ao custo de 6 unidades de Mármore, construa um Templo. Essas construções eram de extrema importância para uma cidade, pois representava a presença do poder político e religioso. O Templo também permite que a nação construa uma fortificação em sua cidade.

Militia (Armar): Ao custo de duas unidades de Ferro, a nação pode armar uma unidade militar. Aqui os soldados e navios estão sendo armados para a batalha.





Duellum (Manobra): Nessa ação as unidades militares que já estão no tabuleiro recebem ordens de marcha, invadindo o território inimigo, destruindo suas cidades, templos e conquistando um novo território.




Scientia (Conhecimento): Essa ação permite que a nação use seu Ouro para desenvolver um novo Conhecimento e também Recrutar novas unidades militares. Ser um soldado no mundo antigo era uma profissão, os soldados deviam ser pagos para lutar, caso contrário poderiam perder a guerra ou mudar de lado. As tecnologias são muito importantes para o jogo, elas permitem que o jogador tenha um bônus em suas ações, recompensa por gastar seu Ouro no desenvolvimento tecnológico.

Recrutamento Grego

Recrutamento Persa


Strata (Estradas): Essa tecnologia permite que as legiões se movam mais rápido entre os territórios. As estradas facilitavam muito as viagens no mundo antigo.

Navigato (Navegação): As Galeras podem se movimentar mais rápido pelo mar aberto, uma embarcação rápida fazia muita diferença durante a guerra.

Moneta (Moedas): O desenvolvimento financeiro permite que a nação gere recursos extras em sua produção de Mármore, Ferro e Ouro.

Res Publica (República): Um governo forte representava uma cidade forte, a nação que se desenvolve politicamente é maior do que as outras, e essa ação aumenta as defesas da cidade durante os ataques.

Commercium (Comércio): Essa ação permite que a nação troque uma quantidade de recursos de um tipo por recursos de outro tipo. Uma nação conhecida pelo seu comércio era uma nação rica e poderosa.

As Tecnologias


Mas vamos a parte mais importante do jogo, os Personagens! São eles que vão fazer a sua nação vencer, ou não!

Os Reis. Para cada cinco cidades conquistadas, a nação conquista um Rei. Exemplos de Reis do Mundo Antigo: Darius, o Grande e Leônidas de Esparta.


Os Eruditos. Para cada novo avanço tecnológico, a nação conquista um Erudito. Exemplos de Eruditos: Heródoto e Pitágoras.


Os Navegadores. Ao controlar sete territórios marítimos, a nação conquista um Navegador. Exemplos de Navegadores: Hanão, o Navegador e Píteas de Masília.


Os Civis. A cada três templos que a nação possuir, um Civil é conquistado. Dentre os ilustres civis do mundo antigo estão: Péricles, “o primeiro cidadão de Atenas” e Caius Mecenas, grande político romano.


Os Generais. Para cada templo que uma nação destruir, um General é conquistado. Dentre os grandes Generais estão: Xerxes I da Pércia e Aníbal, o principal comandante cartaginês durante a Primeira Guerra Púnica.


Bem, é isso! Espero que tenham gostado!

Muita gente pensou que eu falaria de Cyclades... Bem, esse jogo é mais mitológico, mas farei um post sobre o jogo um dia, aguardem!